Autarquia responde ao abandono da Escola Montes Hermínios

Após o comunicado emitido pelos pais e encarregados de educação acusando a autarquia de ter “abandonado” a Escola Montes Hermínios, o executivo da Câmara Municipal da Covilhã respondeu em comunicado ao que diz ser uma “mentira”, e que “tudo não passa de aproveitamento político”.

Afirmam que este não é um movimento dos pais mas sim uma “ação dinamizada por um grupo de quatro pais politicamente orientados”. A autarquia acrescenta que estes “estão a utilizar a sua condição de pais das crianças da escola para, de forma encapotada, organizar uma ação com fins meramente políticos, através da transmissão de informações falsas”.

No comunicado o município esclarece que “a Escola Montes Hermínios integra o Plano de Requalificação do Parque Escolar”, acrescentando que a “obra até já foi adjudicada”.

Desmentem que o atual executivo tenha negligenciado a escola, afirmam que desde 2014 têm havido “várias conversações entre o Município e o Agrupamento de Escolas Frei Heitor Pinto, ao qual pertence esta escola, com vista à sua requalificação”.

O comunicado faz referência ao facto de o município estar a “realizar a maior intervenção de sempre no parque escolar”, com 4 milhões de euros assegurados pelo Pacto de Coesão Territorial da CIM Beiras e Serra da Estrela. Acrescentam ainda que “no agrupamento de Escolas Frei Heitor Pinto o investimento é de 436 mil euros”.

Esclarece que as intervenções contemplam escolas de 4 agrupamentos, os avisos de publicação de concurso tiveram lugar em Fevereiro, “e para não afetar o normal funcionamento das aulas a autarquia decidiu realizar as obras nas férias de Verão”.

No caso da Escola Montes Hermínios a autarquia afirma que “a empresa construtora alertou que, dada a intervenção de fundo prevista, não seria possível concluí-la antes do início do ano letivo de 2017/2018, como se pretendia”. O Município e o Agrupamento de Escolas optaram, assim, “por adiar as obras, que decorrerão nas próximas pausas letivas, na do Natal e na de Verão”. “Ainda assim”, acrescenta o município, em “consonância com o Agrupamento” decidiu “intervencionar o piso do recreio e os sanitários da EB1 Montes Hermínios, o que aconteceu no início deste mês de Setembro”.

Quanto às restantes acusações que constam do comunicado a autarquia responde que “não correspondem à verdade”. Os cabos que se vêm pertencem “à rede informática da escola, pelo que são tão inofensivos quanto um cabo de ligação de um computador”.

Relativamente às obras a realizar na escola, estão previstas a requalificação das instalações sanitárias, das carpintarias, pintura, tratamento de pavimentos em madeira, instalação de dispositivos de ensombramento (estores de rolo), aplicação de isolamento térmico sobre o pavimento do sótão, reabilitação da cobertura, substituição de material elétrico, entre outros. Prevê ainda arranjos exteriores, com construção de dreno e sistema de escoamento de águas pluviais, assim como requalificação do parque infantil. E contempla também a substituição de mobiliário e de equipamento informático, bem como aquisição de material didático”.

Para concluir a autarquia “lamenta e repudia” o que considera uma “clara e inequívoca tentativa de aproveitamento político do assunto”, afirmando que “os seus protagonistas não pretendem, em verdade, defender os interesses da comunidade escolar, mas sim fazer politica e promover as candidaturas que integram”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *