Universidade da Beira Interior tem esperança na revisão do financiamento

António Fidalgo, Reitor da Instituição, acredita que o financiamento atribuído à UBI ainda possa ser alterado no Orçamento do Estado, dado as posições manifestadas pelos elementos da Comissão Parlamentar, com quem reuniu na terça-feira.

“Daquilo que me foi dito e tendo em conta que a maioria dos representantes partidários prometeram levantar a questão em sede de discussão do Orçamento do Estado, saio com esperança de que a UBI possa ter um reforço de verba para este ano, no mínimo de 1,2 milhões de euros, que é o valor necessário para podermos equilibrar as contas deste ano”, afirmou o reitor da UBI, António Fidalgo.

A Rádio Clube da Covilhã recorda que, no passado dia 7 de Setembro, António Fidalgo informou publicamente que a UBI não tinha submetido a proposta de orçamento para 2018 devido a um “subfinanciamento crónico” que a instituição enfrenta há anos. No discurso na cerimónia de posse o reitor denunciou o que considerava ser “um garrote financeiro” para a instituição que se não fosse resolvido levaria à “asfixia financeira”. Dados que apresentou esta terça-feira, detalhadamente, à Comissão de Educação e Ciência da Assembleia da República, de modo a “deixar claro que não está em causa uma birra ou um protesto, mas sim uma necessidade absoluta”, referiu. No final considerou proveitosa a reunião e garantiu que a UBI não irá baixar os braços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *