Covilhã vive “bloqueio” em que “guerrilha partidária e política sobrepõe-se aos interesses do concelho”

No debate de segunda-feira com os candidatos à Câmara Municipal da Covilhã, ao qual assistiram mais de duas centenas de pessoas no auditório das sessões solenes da UBI, faltou o candidato do movimento De Novo Covilhã, Carlos Pinto. Adolfo Mesquita Nunes não evitou comentar esse facto, considerando “caricato não se ter feito um único debate com todos os candidatos”. Para o candidato do CDS-PP, “isto mostra o bloqueio em que a Covilhã tem vivido em que a guerrilha partidária e política se sobrepõe aos interesses do concelho”.

Adolfo Mesquita Nunes referiu ainda que, face ao que está a ocorrer nesta campanha, há dois projetos que podem vencer, o do PS e o do CDS, sendo que, no caso da sua candidatura, a “ambição é maior, a nossa atitude é pró-ativa, há capacidade estratégica de definir objetivos e não uma gestão meramente casuística do quotidiano”. O candidato do CDS-PP mostrou-se ainda confiante que a “Covilhã não se irá resignar a uma “Câmara preguiçosa” e o seu projeto sairá ganhador”.

As eleições estão agendadas para o próximo domingo, dia 1 de Outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *