Joaquim Matias recandidata-se a mais um mandato à frente dos Bombeiros Voluntários da Covilhã

O anúncio da sua recandidatura foi feito na Assembleia Geral, na última sexta-feira à noite, em que os órgãos sociais deram a conhecer aos associados o plano de ação da Associação para o próximo ano. Considerando que o plano que traçou para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Covilhã “está no bom caminho”, não deixa de referir que “há ainda muitos projetos para concluir”. Os atuais órgãos sociais apresentam a sua recandidatura para mais um mandato, à frente da corporação covilhanense.

Joaquim Matias salienta que o mais importante que conseguiu nos Bombeiros “foi a tranquilidade que não existia”. Uma tarefa que só se consegue “cumprindo e fazendo cumprir os estatutos da instituição”.

No que diz respeito a obras, Joaquim Matias recorda que, desde que conseguiu a legalização do quartel, foi possível a sua ampliação e renovação. Um projeto que “não está concluído”, e que “no próximo ano pretendem realizar a renovação da camarata feminina e ampliar os vestiários”.

Está também nos planos a construção de uma garagem para 30 ambulâncias no Campo das Festas, em terreno cedido pela Câmara Municipal da Covilhã. O presidente dos Bombeiros afirma que esta será uma obra para realizar no mandato, se não conseguir em 2018.

Joaquim Matias garantiu ainda na Assembleia Geral que o quartel da secção do Paul terá também que ser intervencionado.
A aquisição de equipamento de proteção individual e de uma viatura polivalente todo o terreno estão também no plano de ação para o próximo ano.
Dizer que em termos de orçamento, para 2018, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Covilhã tem previstos cerca de 1 milhão e 220 mil euros de rendimentos e cerca de 1 milhão 146 mil euros de gastos. No orçamento constam ainda 105 mil euros para investimentos.