Rampa Serra da Estrela/Covilhã poderá integrar o campeonato europeu em 2020

A Rampa Serra da Estrela/Covilhã poderá integrar o Campeonato Europeu em 2020. A autarquia e o clube organizados da prova, o Cami Mortorsport, estão a trabalhar uma candidatura a apresentar em 2019 à Federação Internacional.

O anúncio foi feito por Vitor Pereira, presidente da CMC, na conferência de imprensa de apresentação da prova deste ano, que irá decorrer a 2 e 3 Junho. Uma ambição antiga do município que, adiantou o edil, “é justa uma vez que a prova tem condições inigualáveis”.

Alguns ajustes serão feitos já na prova deste ano. O percurso terá mais 300 metros, para ter os 5 quilómetros exigidos, tudo para que em 2020 possa integrar o Campeonato Europeu.
O maior esforço será conseguir que a Infraestruturas de Portugal faça a reformulação do piso, essencial para conseguir o objectivo.

As más condições do piso são a principal crítica dos pilotos à Rampa Serra da Estrela. “Uma necessidade”, diz Vítor Pereira, independentemente de haver ou não Campeonato Europeu e é essa mensagem que quer passar à IP. Nuno Loureiro, presidente do Clube Automóvel do Minho, que há 6 anos é responsável pela organização da Rampa, reforça esta ideia.

O Clube Automóvel do Minho está a fazer o estudo para a candidatura ao Campeonato Europeu que será formalizada no próximo ano. A favor da Rampa Serra da Estrela existem alguns fatores, como a história e o traçado, mas avisam que “a concorrência é grande”. Em Portugal apenas uma prova integra aquele calendário, a Rampa da Falperra, e diz Nuno Loureiro, “é preciso provar que somos melhores”, embora para o organizador o ideal era que as duas provas pudessem integrar o Europeu.

De resto a Rampa Serra da Estrela é desafiante, tem um traçado muito técnico e, por isso, aliciante. É a opinião de Paulo Ramalho, que desde 2000 participa no campeonato de Portugal e esteve a acompanhar a vistoria técnica ao percurso.

A rampa deste ano realiza-se de 2 a 3 Junho, com a participação de cerca de 40 pilotos. Tem um orçamento de 35 mil euros, sendo que a autarquia comparticipa com 27.500. A organização pretende que seja uma organização top para começar a limar todas as arestas para a candidatura ao europeu da modalidade no próximo ano.