UBI com números excelentes na 1ª fase

A UBI preencheu 90 por cento das vagas na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso, mantendo o número de colocados do ano anterior, dos 1176 novos alunos. Um total de 70 por cento escolheram a UBI em 1ª ou 2ª opção. Para a 2ª fase sobram cerca de 140 vagas.

“Manter o número de colocados do ano passado em primeira fase foi excelente face à redução de candidatos a nível nacional”, disse à Rádio Covilhã o vice-reitor João Canavilhas.

Aquele responsável acrescenta que “tendo em conta que o primeiro critério para a escolha da universidade é a proximidade à residência, conseguir 70 por cento das colocações em 1ª e 2ª escolha, coloca a academia muito próximo do que pode aspirar face à demografia do País”. A aposta em bolsas de mérito e na mostra da instituição aos alunos do secundário são algumas das ferramentas que a instituição utiliza para atingir estes objetivos, referiu.

As colocações do Concurso Nacional de Acesso representam cerca de 50 por cento dos colocados, refere João Canavilhas. Há por isso “a expectativa de haver um ligeiro crescimento face a anos anteriores”, em especial ao nível de 2º e 3ºciclos “onde a academia tem mais margem para crescer”.

De resto João Canavilhas não esconde que face à demografia, a tendência da UBI será para a estagnação no número de alunos, “a não ser que seja alterada a fórmula de acesso ao ensino superior, o que colocará mais jovens em condições de concorrer”.

Com cerca de 85 por cento de alunos deslocados, a UBI tem cerca de 800 camas nas várias residências “o que é manifestamente pouco para as necessidades”, ainda assim, afirma Canavilhas, “o mercado na Covilhã soube adaptar-se, e há boa oferta privada, com a aposta de investidores na recuperação de imóveis. Esta é uma caraterística que distingue também a academia covilhanense de outras congéneres nas grandes cidades”, refere.

A UBI no ano passado bateu o recorde de inscritos com 7262 alunos, este ano espera chegar aos 7500.