Estudantes da UBI querem propinas mais baixas

O “desafio ambicioso” foi lançado ao reitor da instituição pelo presidente da Associação Académica na Cerimónia Solene de arranque do ano letivo.

Afonso Gomes pede que se baixem propinas, taxas e emolumentos aos estudantes. Recordou no discurso que “apesar do valor estar congelado (1030 euros anuais), uma diminuição é mais do que bem-vinda e prova que os estudantes não são clientes mas agentes da instituição”.

Os problemas de alojamento também não ficaram de fora do discurso do presidente da Associação Académica.

Recordando que a academia tem mais de 7000 alunos, 5 mil dos quais deslocados e que nas residências Académicas há “apenas vagas para pouco mais de 800”, Afonso Gomes afirma que “é de extrema importância a necessidade de uma nova residência, em especial na zona baixa da cidade”.

O 3º desafio lançado pelo líder dos estudantes da UBI visa a fixação dos jovens licenciados na região e por isso exortou “as autarquias no eixo da A23, em especial Guarda, Covilhã, Castelo Branco e Fundão e a própria Comunidade Intermunicipal da Beiras e Serra da Estrela, a criarem incentivos para a sua fixação” e deu como exemplo “a criação de uma bolsa de arrendamento para recém-licenciados permitindo que a mão-de-obra qualificada permaneça na região”

Por: Gina Almeida