CDS-PP quer Conselho Municipal de Segurança a funcionar em pleno

O líder da bancada centrista na Assembleia Municipal da Covilhã, João Vasco Caldeira, apresentou na última reunião do órgão uma moção para “acautelar devidamente as questões de segurança”, promovendo uma perfeita articulação entre todos os agentes, propondo a criação do Conselho Municipal de Segurança. Para o CDS o conselho “é essencial para a melhoria das condições de segurança e apoio à população”.

No preâmbulo da moção, João Vasco Caldeira recordou que os conselhos municipais de segurança são órgãos consultivos criados por decreto lei em 1998, “para promover a articulação entre todos os agentes de segurança, públicos e privados”.

A moção acabou por não ser votada já que o presidente da câmara da Covilhã, Vítor Pereira, informou que o conselho foi criado em junho de 2015, no seio da própria assembleia e que fazem parte da comissão instaladora os líderes de bancada. O autarca reforçou que “a criação é um facto se não tem funcionado não faço ideia” e qualquer discussão sobre a matéria seria “inócua”.

Face ao desconhecimento destes dados pelos eleitos neste mandato, a moção foi retirada após o compromisso de João Casteleiro, presidente do órgão, de até ao final de janeiro convocar uma conferência de líderes para analisar “o que tem sido feito e na próxima reunião apresentar conclusões”. Uma decisão que reuniu consenso entre as diversas bancadas na Assembleia Municipal da Covilhã.