Covilhã com 11 freguesias prioritárias para defesa da floresta contra incêndios

O governo divulgou esta quinta-feira o mapa das freguesias consideradas de maior risco de incêndio, cuja defesa das floresta deve ser considerada prioritária em 2019. No concelho da Covilhã há 11 freguesias incluídas, 8 delas pintadas a vermelho (1º nível de prioridade) e 3 delas pintadas a laranja (2º nível de prioridade). Este mapa está inserido num despacho conjunto do Secretário de Estado da Proteção Civil e do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural e que define igualmente os prazos para a realização das ações de fiscalização que devem incidir sobre as áreas prioritárias.

O despacho determina que a fiscalização da limpeza de terrenos confinantes a edificações (numa faixa 50 metros), aglomerados populacionais e áreas industriais (numa faixa de 100 metros) se efetuem entre os dias 1 de abril e 31 de maio. O documento define igualmente que a fiscalização da limpeza das faixas de proteção das redes viária e ferroviária e das linhas de transporte e distribuição de energia elétrica seja efetuada entre os dias 1 e 30 de Junho.

As freguesias covilhanenses categorizadas como de maior risco de incêndio (a vermelho) são as freguesias de Aldeia de S. Francisco de Assis, São Jorge da Beira, Sobral de S. Miguel, Unhais da Serra, Verdelhos, Cantar-Galo/Vila do Carvalho e Casegas/Ourondo. Definidas como 2º nível de rísco de incêndio (a laranja) encontram-se as freguesias de Cortes do Meio, Peso/Vales do Rio e Teixoso/Sarzedo.

Este ano há nesta lista de freguesias em risco de incêndio um total de 1142 freguesias, mais 93 do que no ano de 2018.