AECBP aprova perda por imparidade da CESPRESA

Os sócios da Associação Empresarial da Covilhã, Belmonte e Penamacor (AECBP) aprovaram, por unanimidade, o relatório e contas do exercício económico de 2018, com um resultado líquido positivo de cerca de 420 euros.

O presidente da direção, Henrique Gigante, realçou “o empenho e ambição” da sua equipa na estabilização das contas da AECBP, já com efeitos positivos no ano transato, apesar da curta duração do trabalho diretivo em vigência, que abrangeu apenas o último trimestre de 2018.

No sentido de recuperar a estabilidade financeira e contabilística da Associação, “a AECBP desenvolveu um trabalho de apuramento real de valor patrimonial e dos seus bens, com vista a uma gestão mais correta e a um planeamento financeiro de médio-longo prazo, para a implementação do seu projeto”, explicou Henrique Gigante. Para o efeito, a direção decidiu reconhecer um excedente de revalorização decorrente de um processo de avaliação de dois bens do seu património imobiliário, traduzindo-se num aumento dos capitais próprios da Associação, em cerca de 330 mil euros.

Ao longo deste trabalho, e ao deparar-se com a situação de insolvência e perda total do valor de mercado da entidade totalmente detida pela CESPRESA – Estudos Empresariais da Cova da Beira Unipessoal, que se verificava desde 2016, a Direção reconheceu nas contas do exercício de 2018 as respetivas perdas por imparidades, quer na rubrica de investimentos financeiros, quer sobre as dívidas que tinha a receber daquela entidade. Assim, nesta operação de reconhecimento da perda por imparidade, fica evidenciada a perda efetiva do valor real da CESPRESA e que ascendeu a mais de 77 mil euros. Recorde-se que uma grande fatia da atividade da CESPRESA consistia na gestão de projetos de formação da Associação Empresarial, que detinha 100% de capitais da sociedade.

Henrique Gigante defendeu uma estratégia de abertura da Associação Empresarial à sociedade, aos agentes da região e às instituições locais regionais e nacionais. “Só com esta abertura ao que de novo se passa no mundo empresarial conseguiremos aumentar a qualidade da prestação de serviços aos associados e, desta forma, sermos reconhecidos por um trabalho válido e inovador que, esperamos, se traduzirá no incremento do número de novos sócios e num aumento de proveitos no final de cada ano”, salientou o dirigente, no decorrer da Assembleia Geral.

O presidente da direção destacou ainda a aposta da equipa diretiva, no estabelecimento de relações mais próximas e informais com a rede de associados da instituição. “Colocámos já em curso o programa de proximidade aos sócios, delineado no nosso projeto eleitoral para a AECBP. Começámos por Penamacor, segue-se, brevemente, Belmonte. Ir ao encontro e estar ao lado dos nossos associados, ouvir, refletir e agir são ações que nos irão acompanhar até ao final deste mandato”, sublinhou.