Marchas Populares a 15 e 22 de junho

Após um interregno de 10 anos, pelo quarto ano consecutivo, 7 coletividades vão participar nas Marchas Populares – Cidade da Covilhã, que sairão à rua a 15 e 22 de junho.

O evento é organizado numa parceria entre o município da Covilhã e o Grupo Desportivo da Mata e pretende repetir o êxito das últimas edições, que levaram à rua milhares de pessoas.

A15 de junho realiza-se o tradicional desfile entre o Campo das Festas e a Praça do Município. No dia 22 de junho, terá lugar a apresentação no Complexo Desportivo

Na apresentação da edição deste ano, o presidente da Câmara da Covilhã, considerou o certame uma “boa prática cultural”, classificando-a como “identitária do concelho”. O autarca realça ainda “a forte mobilização” que as marchas provocam, tanto no público, “como nas agremiações que se superam para participar”. O autarca realça ainda “o convívio e a aproximação” que se consegue entre os integrantes de cada marcha, acreditando que “com a criação e os ensaios se constroem memórias para a vida”.

A organização espera dois “momentos importantes” de mobilização na cidade, que “mexe com a economia local”, uma vez que são esperados “milhares de espetadores nos dois dias de desfile”.

Vão participar nas Marchas Populares deste ano, desfilando por esta ordem, Vitória de Sto. António, Grupo Desportivo da Mata, Rancho Folclórico da Boidobra, Grupo Desportivo Águias do Canhoso, Académico dos Penedos Altos, Oriental de S. Martinho e GIR do Rodrigo.

Das 7 coletividades, seis pertencem à União de Freguesias da Covilhã e Canhoso, Carlos Martins, presidente da UF, considera que “esta é a grande manifestação popular, recreativa e musical da cidade” e mostra-se satisfeito com o trabalho realizado pelas coletividades da sua freguesia, que “fazem com que o povo saia à rua”.

Uma importância também sublinhada pela Junta de Freguesia da Boidobra, Ilda Vaz refere que o “apoio que a Junta dá à sua representante nas marchas é insignificante face aos custos”, considerando “importante” a mobilização do rancho, para participar e ao mesmo tempo “mobilizar pessoas de fora da freguesia” para se juntarem ao projeto.

Para a câmara municipal o investimento ronda os 23 mil euros, valor a dividir pelas associações participantes, a União de Freguesias da Covilhã e Canhoso contribui com 500 euros para cada uma das 6 coletividades da sua freguesia e a Junta da Boidobra entrega à sua representante 250 euros.