Obras do Teatro Municipal concluídas até junho 2020

“As obras do teatro municipal decorrem com normalidade” disse Vítor Pereira aos jornalistas no lançamento do concurso para a identidade gráfica do teatro.

Segundo especificou, até ao momento já foram feitas intervenções de reboco, de acabamento das paredes e pavimentos.

A intervenção principal na sala de espetáculo mantém o sistema plateia/balcão assim como a aparência, contudo está a ser totalmente remodelada. O palco terá um alargamento da boca de cena, passará de 9 para 12 metros, todas as infraestruturas serão novas, a acústica e a climatização será remodelada, haverá ainda uma redução significativa de lugares sentados, passará de 984 lugares para 620.

Segundo o engenheiro Jorge Vieira a “intervenção pretende ser o mais minimalista em termos de intrusão possível, preservando as características arquitetónicas do edifício classificado, portanto é necessário conciliar o património arquitetónico com a criação de espaços, destinados à cultura, modernizados e bem infraestruturados, que é o que se procura hoje”.

O espaço foi reorganizado, haverá apoios ao funcionamento de palco, zonas de arrecadação, a própria zona de entrada de equipamento para o palco foi alterada, será feita agora pela rua Ruy Faleiro, através de uma loja que foi convertida numa zona entrada que levará um monta-cargas, dentro do edifício.

Além do Teatro Municipal será também intervencionada a antiga residencial Montalto, dando origem ao Centro de Incubação e Apoio a Indústrias Culturais e Criativas, que em conjunto com o Teatro constituirão o Centro de Inovação Cultural.

O Centro de Inovação Cultural é um investimento de 4.8 milhões de euros apoiados por fundos comunitários através do Centro2020 no valor de 3.7 milhões e a parte de componente própria assumida pela câmara, como único dono de obra.

Vítor Pereira, presidente do município, refere que é “Um esforço financeiro para o município, mas compensador, uma vez que veio colmatar uma lacuna da cidade”.

A obra deve estar concluída “entre final de maio e início de junho”, salienta o autarca, afirmando que o espetáculo inaugural já está a ser pensado. O edil não revela pormenores, avançando só que “irá dar primazia aos artistas da Covilhã”.

Recordar que Vítor Pereira convidou Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, para a inauguração em outubro de 2020, data em que a Covilhã celebra 150 anos de elevação a cidade.