Estudo sobre hipertensão com amostra incorreta

António Peixeiro, Assistente Graduado Sénior de Cardiologia e Diretor do Serviço de Cardiologia do CHUCB e Manuel de Carvalho Rodrigues, Assistente Hospitalar de Cardiologia e Presidente da Sociedade Portuguesa de Hipertensão analisaram o estudo apresentado pelo Instituto Politécnico de Castelo Branco. Um trabalho que apontava mais de metade da população adulta do Concelho da Covilhã como hipertensa e concluíram que “a amostra recolhida no estudo não cumpre os requisitos de representatividade da população do concelho da Covilhã”. O que aliás fica expresso no descritivo do estudo.

Em comunicado adiantam ainda que “o uso de um aparelho aneroide e, não de um oscilométrico, levanta problemas de ordem metodológica, os quais, por si só, inviabilizam os objetivos pretendidos com o estudo, o erro metodológico na determinação da média da pressão encontrada em cada indivíduo, invalida a representatividade do valor global encontrado”.

No comunicado concluem que “numa palavra e, em nosso entender, aquele que pretende ser o objetivo do estudo fica prejudicado e, mesmo inviabilizado, pelos erros nos materiais e métodos”. Apesar desta conclusão dão conta da preocupação em particular, para a baixa adesão ao tratamento encontrada, “fator a merecer a maior das atenções e preocupações”.

Foto: CHUCB (Facebook)