Debate com os candidatos à A.F. Sobral de S. Miguel na RCC

Sobral de São Miguel foi a primeira freguesia em debate na sede da Rádio Clube da Covilhã. Durante cerca de uma hora, António Dias, da coligação Vontade de Mudar, Dina Brito, do CDS-PP, e a atual presidente da junta e candidata independente apoiada pelo PS, Sandra Ferreira, apresentaram propostas e discutiram ideias para o futuro do Sobral de S. Miguel.

Um dos principais temas em discussão foi a definição dos limites da área da freguesia de Sobral de São Miguel, apontado como grande prioridade por António Dias. Diz o candidato que “foi-nos retirado cerca de 16km quadrados, ou seja, metade da área do Sobral”, o que, a nível de FEF (Fundo de Equilibrio Financeiro) , “representa entre 20 a 30 mil euros”. Sandra Ferreira discordou dos valores apresentados e garantiu que “a partir da primeira hora em que se aperceberam do problema tudo foi feito para resolver a questão”. A presidente em exercício afirma que “foi muito difícil”, mas que a questão “está ultrapassada” e que, atualmente, “os limites estão reconhecidos pelas duas assembleias de freguesia, estão sinalizados e precisam única e exclusivamente de serem aprovados em Assembleia Municipal”.

O envelhecimento da população sobralense foi outra das grandes preocupações suscitadas pelos três candidatos e todos eles apontaram políticas de fixação de pessoas e o turismo como forma de enfrentar o problema. Dina Brito, que lidera uma “equipa jovem”, diz que é necessário “potenciar a aldeia” apostando sobretudo no “turismo de desporto”. A candidata do CDS-PP diz que, em conjunto com a adxtur (Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto), está prevista uma rota pedestre e de BTT com o intuito de, por exemplo, “criar campanhas de geocashing, ou então, de trail”. António Dias, da coligação Vontade de Mudar, considera ser necessário criar mais alojamento local, mas que a casa-museu João dos Santos não deve servir para esse efeito. Já Sandra Ferreira avançou que pretende criar o Centro de Acolhimento ao Visitante “num dos espaços que, neste momento, já é uma prioridade da junta”, “a casa nº1 da rua da ponte, que nós pretendemos requalificar e transformar nesse centro de acolhimento”.

Questionado sobre o atual mandato da sua adversária, António Dias é da opinião que o trabalho feito por Sandra Ferreira foi essencialmente “na parte social”, e não em obra. A candidata independente apoiada pelo PS considera que também foi feita obra, nomeadamente na reconstrução do açude. Segundo Sandra Ferreira, “a anterior Câmara Municipal deixou ruir por completo o açude. Ruiu nas minhas mãos. A sua reconstrução foi aquilo que as pessoas da aldeia me pediram quando tomei posse. Esta junta fê-lo!”.

Os candidatos do CDS-PP e da coligação Vontade de Mudar aproveitaram também para criticar a falta de apoio da Câmara Municipal da Covilhã para com o Sobral de São Miguel. Para Dina Brito, ” é necessário fazer pressão sobre o município para apoiar mais a freguesia”, pois “durante estes 4 anos notou-se falta de apoio para com o Sobral.” Quanto a António Dias, afirma que “os Presidentes de Câmara têm de se convencer que não podem ir pavonear-se ou passear para ganhar votos. Têm de ajudar mais as freguesias e este presidente poderia ter dado muito mais do que aquilo que deu”.

Conhecidos os candidatos e as suas propostas para a freguesia, resta aos 436 sobralenses, no próximo dia 1 de Outubro, escolher o Presidente da Assembleia de Freguesia de Sobral de São Miguel, que liderará os destinos desta freguesia do concelho da Covilhã.

Ouça aqui o debate na íntegra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *