Teatro das Beiras organiza o Festival de Teatro da Covilhã

O Festival de Teatro da Covilhã vai decorrer de 2 a 11 de Novembro, uma iniciativa organizada pelo Teatro das Beiras que contará com 13 apresentações teatrais e um espetáculo de música no encerramento, um certame orçamentado em 30 mil euros. Serão 9 companhias teatrais a subir ao placo na Covilhã, entre as quais uma espanhola.

À semelhança dos outros anos, o programa prevê oito representações para o público escolar, que deverão abranger cerca de 700 crianças com idades entre os 3 e os 12 anos de várias escolas do concelho, com o objetivo, diz Fernando Sena, responsável pela companhia covilhanense, “de sensibilizar e atrair novos públicos para o teatro”, um trabalho que de resto “já fazem há mais de 23 anos”.

O Festival de Teatro da Covilhã é organizado pelo Teatro das Beiras há mais de 30 anos. Este ano, segundo Fernando Sena, “o programa é equilibrado e diversificado”, pese embora “as restrições à programação, como as questões financeiras e as limitações da própria sala”.

Este ano serão 9 as companhias a subir ao palco, entre as quais uma espanhola, integrada no projeto “Circuito Ibérico de Teatro”, que engloba companhias espanholas e portuguesas e que tem o objetivo de apresentar no país vizinho o trabalho que por cá se faz e trazer a Portugal o teatro espanhol. Um programa que começou com 3 companhias de cada lado e que “tem crescido ao longo dos anos”, diz o responsável pela companhia da Covilhã. Na Covilhã estará o Teatro Guirigai, com a peça “Un Encuentro con Miguel Hernandez”, a única deste circuito que poderia ser apresentada no auditório do Teatro das Beiras, dadas as suas limitações, frisou Fernando Sena.

O festival arranca no dia 2 de Novembro, às 21:30, com a peça “13”, criação da Peripécia Teatro, uma peça que gira em torno das aparições de Fátima. No dia 3, à mesma hora, o espetáculo “Memórias Partilhadas”, do Teatro Montemuro, sobre três monólogos de Peter Cann, Therese Collins e Abel Neves. No dia 4, às 21:30, sobe ao palco a peça “As Criadas”, de Jean Genet, pela Companhia de Teatro de Braga.

As apresentações para o público infantil decorrem entre os dias 6 e 9 de Novembro e cada espetáculo sobe ao palco duas vezes, às 11:00 horas e às 14:30. No dia 6, será a peça “BemMarMeQuer”, pelo Teatro Art’Imagem, inspirada na obra de Mia Couto. Já no dia 7, terá lugar a peça “O Pedro e o Lobo”, um clássico revisitado por Luiz Oliveira e pela Jangada Teatro, seguindo-se, no dia 8, “Um dia serei grande”, criação coletiva da Baal 17 e, no dia 9, “Borbolino”, de Odete Ferreira, pela D’Orfeu.

“Um Encuentro con Miguel Hernandez”, sobe ao palco no dia 10, às 21:30. No dia 11, à mesma hora, a companhia anfitriã apresenta a sua mais recente encenação, “A ilha dos Escravos”, sobre o original de Pierre de Marivaux. O certame fecha pouco depois com a atuação do João Espadinha Quinteto, num concerto marcado para as 23:00 horas. Com o guitarrista tocam Luís Cunha, em trompete, Óscar Graça (piano), Ricardo Marques (contrabaixo) e João Pereira (bateria), de acordo com a programação anunciada.

O bilhete, para o público em geral, custa 6 euros, sujeito a desconto de 50% para sócios do Teatro das Beiras, maiores de 65 anos e jovens até aos 25 anos.