Orçamento do Estado é uma mão cheia de nada no que diz respeito a portagens

É a posição da Plataforma P´la Reposição das SCUT na A23 e na A25 após a análise ao documento.

Em nota enviada às redações afirma que “ao contrário de outras medidas para as áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto (redução do preço dos passes sociais) e uma ou outra medida desgarrada e insuficiente para o Interior, a abolição e ou redução do preço das portagens, não constam da proposta de Lei do Orçamento de Estado, apenas aparecendo no documento designado “Relatório do OE” e, ainda assim, limitando-se a dizer que no decorrer de 2019 se verificará a redução para os veículos de transporte de mercadorias, não dizendo nem quando, nem como se vai processar essa redução e deixando de fora dessa redução os trabalhadores e a população em geral”.

A Plataforma considera que esta é uma falta de respeito pelas populações e empresas do Interior.

Face a esta análise, a Plataforma P´la Reposição das SCUT na A23 e na A25 decidiu solicitar audiências com carácter de urgência às seguintes entidades ao Ministro do Planeamento e Infraestruturas; Ministro-Adjunto e da Economia e à Comissão Parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas

Decidiu ainda elaborar e publicar uma carta aberta ao 1º Ministro, a ser subscrita por várias personalidades da vida pública do Interior e reafirmar o pedido de audiência ao Presidente da República.

A Plataforma reafirma “que sempre que o Primeiro-Ministro, Ministro do Planeamento e Infraestruturas ou o Presidente a República se desloquem aos distritos de Castelo Branco e da Guarda se fará representar com uma delegação, preparada para manifestar o seu desagrado, conforme as circunstâncias, estando ainda sempre em agenda a realização de ações públicas nestes distritos ou fora deles”.

Por: Gina Almeida