Leão ainda afia as garras, mas já magoa

O Sporting da Covilhã ultrapassou o primeiro teste da época ao eliminar o Varzim Sport Clube nesta primeira fase da taça da liga, num jogo pouco brilhante, decidido apenas nas grandes penalidades.

Numa primeira parte que se jogou morna, as equipas entraram no jogo ainda a encontrar o seu ritmo, não criando grandes oportunidades de golo. O mais perto de se inaugurar o marcador foi quando um desvio do central dos lobos do mar, Pedro, quase traiu o seu próprio guarda-redes.

O Covilhã regressava com outra garra para a segunda parte e mostrou-se com vontade de chegar ao golo e esteve por cima da contenda até ao minuto 68, altura em que o central covilhanense Jaime é expulso por acumulação de amarelos.

Enquanto o Varzim partia o jogo, procurando chegar com tudo ao golo, os leões iam aguentado as investidas poveiras enquanto abriam espaços através do contra-ataque.

Sem decisão nos 90 minutos, o jogo seguiu para as grandes penalidades onde o Covilhã foi feliz, vencendo por 3-1, tendo Bonani apontado o decisivo.

O treinador dos homens de Varzim, Paulo Alves, mostrou-se satisfeito com a exibição da sua equipa, argumentado que estas eliminatórias se definem “nos detalhes”.

Ricardo Soares, treinador do Sporting da Covilhã, considerou que este “não foi um bom jogo” de futebol, sendo que foi a coesão defensiva o ponto chave para a vitória. O “mister” ressalvou ainda que a lesão do guarda-redes Bruno Miguel, possível fratura na cana do nariz, dificultou a gestão que tinha planeado, pois obrigou a uma substituição ao minuto 19. O treinador destacou ainda a força de Carlos Henriques, guarda-redes que rendeu Bruno, pois jogou em esforço os 70 minutos face a uma lesão muscular.

O Covilhã carimbou assim a passagem à 2ª fase da Taça da Liga onde vai defrontar o Famalicão já no próximo fim-de-semana.

Imagem: Eugénio Lopes