Antiga PSP para obras

As obras para a remodelação da antiga PSP e do antigo Liceu da Covilhã para aí instalar o Centro de Incubação e apoio ao Empreendedorismo e Centro de Inclusão Social da Covilhã, respetivamente, devem estar no terreno antes do fim do ano.

O anúncio foi feito por Vítor Pereira, presidente da autarquia, na Assembleia Municipal. “O primeiro concurso aberto para o efeito não teve concorrentes”, disse, “o que se deve à muita atividade no setor da construção no concelho”, justificou.

Anunciou que há novo concurso a decorrer e a Câmara “espera adjudicar a obra antes do fim do ano”. Os centros têm financiamento a 85% no âmbito do Plano Estratégico Desenvolvimento Urbano (PEDU) a Assembleia Municipal da Covilhã aprovou por maioria a contratação de um empréstimo para fazer face aos 15% não financiados.

O movimento “De Novo Covilhã” votou contra, por considerar que não se justificam, “uma vez que existe na Covilhã o UBImedical e o Parkurbis”, questionou “qual o relatório que para justifica a sua criação, qual a sua necessidade e objeto”. Para o Movimento “são necessárias políticas para fixar pessoas na zona histórica” e sugere que “aqueles edifícios sejam para habitação social”.

Uma intervenção que levou a troca acalorada de palavras entre o presidente da autarquia e o deputado Luís Fiadeiro. Vítor Pereira mostrou-se “estupefacto” com a intervenção questionando se a classificaria no “anedotário, no ridículo ou no “botabaixismo” municipal”, justificando que “as questões que levantou já as ouvi numa sessão pública da autarquia.

Na resposta Luís Fiadeiro pediu “respeito para quem pensa diferente, o que não significa pensar pela cabeça de terceiros”. “Esta é uma proposta pessoal, é diferente da que a Câmara apresenta, mas tal como respeito as soluções da autarquia exijo respeito” referiu o deputado.

Sobre a proposta em concreto, Vítor Pereira responde que pensar em habitação social para aqueles edifícios “não lembra ao diabo”. Já justificar a existência “é fácil”, disse o autarca, “faz parte do ABC da estratégia de desenvolvimento local”. O “UBImedical desenvolve a sua atividade no campo da saúde, o Parkurbis está distante da Universidade e com este centro pretende-se proximidade ao local onde os jovens estudam” explicou. A contratação do empréstimo foi aprovada por maioria com três votos contra e seis abstenções.