Câmara da Covilhã disponibiliza 300 mil euros para associativismo

Esta é a verba inscrita no regulamento de apoio ao associativismo, cujos critérios foram aprovados por maioria na última reunião pública do município.

Os apoios estão distribuídos por três linhas, o apoio regular tem uma dotação de 200 mil euros, o apoio ao investimento com 75 mil euros e uma linha de apoio à atividade pontual de carater supraconcelhio com uma dotação de 25 mil euros, explicou na reunião José Miguel Oliveira, vereador com o pelouro do associativismo.

O apoio regular será distribuído por todas as associações, as outras linhas de apoio ficam sujeitas a candidaturas. Os apoios serão distribuídos com base no resultado fornecido por uma fórmula matemática que resulta da aplicação dos critérios aprovados. “Não haverá lugar a interpretações, mediante as respostas nos formulários a fórmula será aplicada”, explicou o vereador.

Uma fórmula que mereceu críticas de Adolfo Mesquita Nunes. O vereador do CDS PP considera que a “fórmula é demasiado complexa e se as coletividades não a perceberem não poderão contestar os resultados, o que tira transparência ao regulamento”, referiu. Apesar da crítica, Adolfo Mesquita Nunes “saudou o regulamento”, considerando-o um “passo muito importante”.

O vereador sugeriu a elaboração de uma manual para que “os dirigentes associativos percebam a fórmula”. Para Mesquita Nunes será importante que “dentro de um ano se faça um balanço da aplicação do documento”.

José Miguel Oliveira avança que esse balanço está previsto, esclareceu ainda que em breve todo o processo de candidatura “será realizado online, numa plataforma que terá inclusive um simulador, que permitirá que cada coletividade saiba quanto irá receber”.