USCB promete “forte luta” contra as portagens

O que se passou com as portagens é “indecente”. Quem o afirma é o Coordenador da União dos Sindicatos de Castelo Branco (USCB), Luís Garra, numa alusão ao chumbo da proposta de alteração ao Orçamento de Estado, apresentada pelo Partido Comunista Português, que previa a abolição progressiva das portagens nas ex-scuts. A USCB promete para o início do ano uma “luta forte e com visibilidade pública”, garante.

Luís Garra falava no 8º encontro distrital da Inter-reformados que decorreu na Covilhã. O sindicalista considerou “cínicas” as atitudes dos diversos partidos políticos e do governo que “nos contatos que mantiveram com a plataforma pela abolição das portagens, consideraram-nas um crime e teceram comentários piedosos, que afinal eram cínicos, porque na votação do Orçamento do Estado PS, PSD e CDS chumbaram a proposta do PCP”, explicou. Para Garra, este é “um braço dado entre o PS e a direita que não vai calar a indignação”.

As ações de luta contra as portagens ainda não têm data marcada, mas a União dos Sindicatos de Castelo Branco, que integra a Plataforma de luta pela reposição das Scuts, promete para o início de 2019 uma “forte luta”.