Arquivo do Tribunal da Covilhã gera mais duas exposições

Os “tesouros” encontrados pelo Juiz Presidente da Comarca da Covilhã, José Avelino Gonçalves, no arquivo do Tribunal da Covilhã, vai gerar, em breve, duas novas exposições documentais, disse o magistrado à Rádio Covilhã.

Depois de “A Justiça e os lanifícios na Covilhã nos séculos XIX-XX”, em breve irá apresentar a “história da imprensa regional”, uma vez que, no arquivo “encontrou 25 números originais de jornais da época”, que vão desde o primeiro jornal que saiu na Covilhã, o Comércio da Covilhã, até 1930 já com o “Noticias da Covilhã”. A outra exposição será sobre os 200 anos das Guerras Liberais, uma vez que “também descobriu documentos interessantes sobre o assunto”, refere o juiz.

Descobertas que surgiram graças à paixão pessoal pela história que o levou “ao sótão do tribunal da Covilhã”, para “vasculhar os processos que estavam em arquivo”. No entanto, refere que “estes achados também se devem à sorte de estarem na Covilhã, porque se estivessem no arquivo distrital, dificilmente seriam trazidos a público”, já que não seria possível fazer a pesquisa que realiza na Covilhã, de uma “forma informal”, salienta.

A primeira exposição que resultou da sua pesquisa foi “A Justiça e os lanifícios na Covilhã nos séculos XIX-XX”, só possível graças a uma parceria com a Universidade da Beira Interior e o Museu de Lanifícios, que tratou todos os documentos. Pode ser vista até dia 26 de maio no museu. Ali encontra “um pouco de tudo sobre a história da Covilhã, que se cruza com a dos lanifícios”. José Avelino Gonçalves recorda que a justiça naquela época “estava centrada na Covilhã” e nos documentos encontra casos de toda a região, que contam “a história de empresários, algumas lutas laborais e até mesmo de grandes obras de construção, nomeadamente a linha de caminho-de-ferro”, frisa.