Alegria cor e folia nas marchas da Covilhã

A alegria na música, nos trajes e nas coreografias das marchas populares inundaram a Covilhã, na noite de sábado. Foram sete os grupos a desfilar, com temas típicos de cada um dos locais que representaram.

A abrir o desfile apresentou-se o Vitória de Santo António com uma homenagem ao bairro, e o tema “O Vitória é o coração do bairro”. Em segundo lugar desfilou o Grupo Desportivo da Mata que este ano apresentou o tema “Das Marchas ao bailarico, com sardinha a Mata é rainha”. Seguiu-se o Rancho Folclórico da Boidobra, com “Bailes de S. João”. O Águias do Canhoso apresentou o tema “Árvore da vida”. Já o Académico dos Penedos Altos levou às marchas “A loucura dos anos 60”. O Oriental de S. Martinho apresentou “Aguarela de Liberdade”. O Gir do Rodrigo encerrou o desfile com a “Feira de S. Tiago”.

Para o presidente da Câmara Municipal, esta foi “uma grande demonstração cultural, de cor luz, alegria e excelentes poemas”, a que corresponderam “os milhares de covilhanenses que puderam testemunhar que foi uma noite em cheio”.

Vítor Pereira acrescenta que depois do que viu reforça a ideia de que “as marchas são identitárias do concelho”, e esta primeira noite “deixou excelentes indícios de que a noite do próximo sábado, no complexo desportivo vai ser fantástica, quando os grupos apresentarem as coreografias e os trajes em contraste com o verde do relvado”.

Respondendo ao repto de alguns marchantes e público que gostaria de ver as marchas voltarem ao Santos Pinto, dada a maior proximidade que proporciona, Vítor Pereira refere que “será uma situação a estudar para o próximo ano”, uma vez que “carece de conversações com o Sporting Clube da Covilhã, para aferir se será possível utilizar o relvado”.

As marchas saem à rua na próxima semana, com a apresentação no complexo desportivo. O início está marcado para as 21:00.