Tortosendo reivindica arranjo de caminhos

David Silva, presidente da JF do Tortosendo esteve esta sexta-feira de manhã, na reunião pública da Câmara Municipal da Covilhã, para reivindicar o arranjo de duas transversais naquela vila, um problema que segundo referiu se “arrasta há cerca de 30 anos”.

Considerando que a maquinaria do município se encontrava no Tortosendo, onde concluiu o asfaltamento do caminho do Espertim, “que também aguardava obras há cerca de 20 anos”, o autarca propôs ao executivo que se avançasse para os asfaltamentos necessários, disponibilizando-se a adquirir todos os materiais.

Uma reivindicação que não teve parecer favorável do executivo. Vítor Pereira refere mesmo que há no município “um mar de reclamações sobre caminhos”, alguns deles que “prejudicam mais gente que os do caso do Tortosendo” e por isso mesmo a autarquia está a “adquirir mais maquinaria e equipamento para numa frente de trabalho concertada ir debelando esses problemas”, avançando que “ainda este verão irão começar essas intervenções.

Uma resposta que não agradou a David Silva, que pretendia que os trabalhos avançassem de imediato na sua freguesia, uma vez que “já ali se encontravam as máquinas”, frisou o autarca, chegando mesmo a propor o “pagamento de trabalhos aos fim-de-semanas aos funcionários da câmara para a sua realização”.

Sugestões que não tiveram a concordância de Vítor Pereira e dos serviços técnicos do município. O presidente da Câmara frisa que a maquinaria apenas foi para o Tortosendo para resolver uma “situação urgente”, interrompendo os trabalhos de implementação da ciclovia que tem “prazo a cumprir”, sob pena de “perder financiamento comunitário”.

Sem se comprometer com datas, o presidente da Câmara garantiu no final a David Silva que “antes da feira de S. Miguel”, que se realiza em setembro, o caso estará resolvido.