“ContraDança” chega à 10ª edição

“ContraDança”, Festival de Dança e Movimento Contemporâneo, é um festival “universal e intercultural que cruza várias linguagens artísticas”, salienta a organização, que está a cargo da Associação de Teatro e Outras Artes, ASTA, da Covilhã.

O evento vai decorrer entre 23 de setembro e 12 de outubro na Covilhã, Teixoso e Gouveia.

A palavra movimento é a chave para a programação eclética do festival, onde tem lugar “não só a dança, mas tudo o que é feito dentro da contemporaneidade”, frisa o presidente da ASTA, Sérgio Novo. O responsável não tem dúvidas que “os vários projetos que se apresentam, de outra forma não teriam forma de chegar ao público desta região”.

Há projetos de várias nacionalidades e companhias de outros países em diferentes áreas artísticas, como “dança, teatro e performance, integrando workshops, conversas e encontros em torno dos espetáculos”, adianta ainda a organização.

O festival é ainda complementado com espetáculos inseridos no programa educativo, com projetos direcionados para o público escolar. Haverá workshop’s, exposição, mercado negro e Feira do livro.

Na Covilhã, terá espetáculos a decorrer no New Hand Lab e no Auditório das Sessões Solenes da UBI, em Gouveia será no teatro Cine daquela cidade.

Com um orçamento de 60 mil euros, Sérgio Novo frisa que mais de 50% dessa verba é injetada diretamente na economia local, com os custos inerentes a alojamento e alimentação, entre outras despesas locais.

O Festival começa dia 23 com os espanhóis Abrego Teatro que se apresentam na escola do Teixoso às15:30. No dia seguinte, também no Teixoso e à mesma hora apresenta-se o teatro de Marionetas de Mandrágora.

No auditório das sessões solenes da UBI há espetáculos entre 24 e 28 de setembro, às 21:30 e no New Hand Lab de 2 a 5 de outubro. A partir de dia 10 de outubro o festival centra-se em Gouveia.

No passado o “ContraDança” estendeu-se ainda a Castelo Branco, Belmonte, Fundão, Santa Maria da Feira, Silvares, Paul e Tortosendo.