Ricardo Soares: “Ao intervalo entendemos o que faltou nos últimos 20 minutos da primeira parte”

O Sporting da Covilhã deslocou-se até Viseu para bater o Académico por 3-1 e manter a liderança da segunda liga.

Como clássico é clássico, o jogo disputou-se sempre com os nervos à flor da pele e isso sentia-se nos jogadores de parte a parte, tendo-se consumado com o golo de Bonani ao minuto 12, quando Janota, num pontapé de baliza colocou a bola diretamente nos pés do avançado serrano.

Após este golo os viseenses subiram, aumentando a pressão sobre os serranos que a espaços iam acusando e perdendo bola atrás de bola. Num balão para a área Carlos Henriques e Tiago Moreira não se entenderam e o guardião acabou mesmo por socar a bola fora dos limites da zona de grande penalidade. O avançado do Académico não se fez rogado e bateu o livre da melhor maneira, para dentro das redes do guarda-redes serrano, consumando a superioridade dos homens de Viseu e chegando à igualdade ao minuto 38.

O intervalo chegou na melhor altura, permitindo a que o Sporting da Covilhã se acalmasse, entrando com outra disposição para a segunda parte. O jogo voltava a estar equilibrado, mas os leões iam conseguindo impor o seu jogo, até que ao minuto 70, após livre de Daniel Martins, Zarabi ganhou o ressalto e só teve de empurrar para devolver a vantagem aos homens de Ricardo Soares.

4 minutos depois, Rodrigo António, após uma entrada no meio-campo, vê o segundo cartão amarelo, e consequente vermelho, e complicava assim a missão dos serranos de manter a vantagem. Os viseenses iam acreditando em chegar ao empate, mas ia faltando a clarividência na hora da decisão. Já com 5 minutos depois dos 90, o Covilhã acabaria mesmo por sentenciar a partida, quando num lance de contra-ataque liderado por Kukula, Tiago Almeida acabou por fazer autogolo, deitando por terra as esperanças do Académico de Viseu.

O treinador do Académico, Paulo Monteiro, considerou a vitória dos serranos justa e deixou elogios à equipa dos leões.

Ricardo Soares considerou que o intervalo foi positivo para os serranos, principalmente para corrigir o que correu mal depois do golo inaugural.

O campeonato terá agora uma paragem de 2 semanas face ao compromisso das seleções nacionais, sendo que o Covilhã regressa à competição no dia 15 de setembro, frente ao Leixões, no Municipal Santos Pinto.