Mepisurfaces investe 7 milhões de euros no Tortosendo

A intenção de a empresa Mepisurfaces, que já tem fábrica no Parque Industrial do Canhoso, investir numa nova unidade de produção no Parque Industrial do Tortosendo “está em vias de se concretizar”, disse Vítor Pereira, presidente da Câmara da Covilhã, no final da reunião de sexta-feira em que a autarquia aprovou a alteração do alvará de loteamento, a pedido da empresa, para que as obras avancem. 

 
Vítor Pereira explicou que o lote que foi objeto desta alteração, e que foi adquirido pela empresa, situa-se nas traseiras do Parkurbis, Parque de Ciência e Tecnologia da Covilhã. 

 
O autarca refere que “o projeto está no urbanismo” e prevê a construção de um edifício de raiz, que será uma “nave com uma traça muito atrativa”, destacou. 

 
O investimento será de cerca de 7 milhões de euros, e, no imediato, irá “criar mais 50 postos de trabalho podendo no futuro duplicar os existentes”. O autarca destaca que “há 6 anos a empresa tinha 20 trabalhadores, agora tem 200 e no futuro poderá chegar aos 400”. 

 
O presidente da Câmara da Covilhã realçou “o esforço que esta empresa está a fazer no concelho, nem sequer recorreu ao lay off e mantém os 200 trabalhadores a laborar” referiu. Frisou ainda que “é uma empresa que tem quadros muito qualificados e onde os salários são acima da média”. 

 
O presidente da Câmara da Covilhã disse que esta “é uma excelente notícia” e espera em breve poder avançar com outras de igual teor. 

 
A Mepisurfaces é uma empresa do grupo franco-suíço FM Industries Sycrillor, que trabalha com marcas de luxo como a Cartier, Tiffany, Montblanc, Louis Vuitton, Dior e Hermès. 

 
Vítor Carvalho, diretor industrial da Mepisurfaces, já em Julho, por ocasião da visita da Secretária de Estado da Valorização do Interior às instalações da fábrica no Canhoso, garantiu aos jornalistas que este investimento iria avançar e que no máximo em 2 anos estará concluído. 

 
Recordar que o grupo FM Industries Sycrilor, que tem fábricas na Suíça, França e Marrocos, viu o centro de produção de bijutaria na Covilhã ser inaugurado, em 2017, pelo primeiro-ministro António Costa. Trabalha para as principais marcas de luxo a nível mundial e atualmente emprega cerca de 200 trabalhadores.