CCD Leões da Floresta: Festa dos 70 anos dura todo o ano

Ao longo de 2024 o CCD Leões da Floresta, popular coletividade da Covilhã, promove um leque de atividades para celebrar os seus 70 anos, foi anunciado esta sexta-feira em conferência de imprensa.

Hugo Garcia, presidente do clube, sublinhando que há datas que têm de ser assinaladas, caso deste número redondo, detalha que o programa foi pensado para que os sócios, em especial os mais antigos, participem e se sentam em casa quando visitam a agremiação.


“É muito importante o associado nesta casa e eu dou muita importância aos sócios, em especial aos mais antigos, que contam histórias que nós não conhecemos e são eles que fazem esse papel”, disse.

Entre a panóplia de eventos previstos, o dirigente destaca o regresso da coletividade às Marchas Populares Cidade da Covilhã, em junho, e a organização da Corrida S. Silvestre, em dezembro, a terceira mais antiga do país, e a que o clube quer dar cada vez maior relevo.

“Nós o que temos de fazer com que este programa fique na memória, com novos eventos, mas com outros do passado e que fazem dos Leões um membro ativo da sociedade, como o regresso das marchas e a nossa S. Silvestre”, destacou.

O dirigente mostra-se convicto que as atividades previstas vão acabar por fazer com que os sócios frequentem cada vez mais a sede. “Em começando a vir a um evento, eu acredito que continuem a vir”, sustentou.

Em termos de obras, Hugo Garcia não esconde que seria emblemático que no ano em que a coletividade completa 70 anos, fosse possível realizar o que falta para a legalização da sede, embora realce que tal não está nas mãos do clube.

“A nossa legalização passa pelas obras nas escadas de incêndio, a Câmara já deu um passo importante nesse sentido, há esperança que comece este ano, falta que a empresa que adjudicou a obra a inicie”, disse.

No que toca a eventos para as comemorações dos 70 anos, haverá atividades todos os meses.

Em fevereiro destaca-se o lançamento do Cartão Viva +, com benefícios para os associados e as comemorações do Dia da Rádio, bem como a realização de uma Semana Intercultural com a AAUBI.

Em março o destaque vai para a saúde, com uma recolha de sangue nos Dadores de Sangue, entre outras iniciativas.

Em abril, mês do aniversário, terão lugar diversos torneios internos, nomeadamente de damas, xadrez e sueca, e a 8 de abril, dia de aniversário, terá lugar o corte do bolo. No dia 20 está previsto o jantar de aniversário. Entre 23 e 25 terão lugar as comemorações do 25 de Abril.

Para maio o destaque vai para a realização de um torneio de tiro em parceria com o INATEL e uma noite de fados.

Em junho o regresso às Marchas Populares Cidade da Covilhã. Para julho e agosto aposta-se a realização de festas populares e sessões de cinema.

Para setembro um torneio de xadrez aberto ao exterior, e em outubro terão lugar eventos de cariz solidário, com palestras, recolha de alimentos e bens e ações de caráter interventivo.

Em novembro o magusto, e em dezembro a festa de Natal dos sócios, jantar de Natal e a corrida de S. Silvestre a terminar o ano e a encerrar as comemorações dos 70 anos.

José Miguel Oliveira, vereador com o pelouro do associativismo esteve presente na conferencia de imprensa, destacando o trabalho que a coletividade está a desenvolver no panorama associativo do concelho, sublinhando o trabalho dos dirigentes que, “de forma abnegada”, dão o melhor em prol do próximo

Nos apoios, realçou a evolução introduzida com o regulamento de apoio ao associativismo “que premeia quem trabalha”. O autarca “deseja um ano de realizações” ao clube.

Carlos Martins, presidente da UF Covilhã e Canhoso, sublinhou que o clube “merece os parabéns pela celebração dos 70 anos”, realçando a história e a importância do clube na cidade.

No ano de celebração dos 50 anos do 25 de Abril, lembrou que foi nestas casas que também se combateu o Estado Novo e se ajudou na construção da liberdade e democracia.