CMC avança que há vários cenários em análise para expansão da Teleperformance

A possível expansão da empresa teleperformance para um novo polo na zona do Sineiro, foi um dos temas no período antes da ordem do dia, na reunião pública da Câmara Municipal da Covilhã, na última sexta-feira.

O tema foi levantado por Adolfo Mesquita Nunes, vereador do CDS-PP, que “a considerou uma boa noticia, a concretizar-se”, mas pediu “mais esclarecimentos” sobre o dossier ao executivo. Mesquita Nunes quer saber com quem reuniu o presidente da Câmara, e qual o ponto da situação concreta “uma vez que os responsáveis da empresa permanecem com queixas sobre as insuficiências nas instalações”, sublinhou.

Na ausência do presidente da autarquia, respondeu José Armando Serra dos Reis, que confirmou que a mudança para “um edifício na área do Sineiro”, é uma das possibilidades que foi apresentada pela autarquia, para a expansão que a empresa deseja. Confirmou também que a empresa “continua a defender a sua expansão para um edifício contiguo ao espaço que ocupam”, afirmando que “há possibilidades” para isso, “embora seja muito difícil”.

A hipótese de expansão para o Sineiro, “está a ser estudada”, afirmou o presidente em exercício, salientando que “a empresa não está recetiva, uma vez que não quer trabalhar em dois polos distintos”, concluindo que “as negociações estão a decorrer ao mais alto nível e em breve haverá conclusões”, sendo certo que da parte da empresa “há vontade de continuar a investir no interior”.

O call center da Covilhã foi inaugurado em 2008. num investimento conjunto da Teleperformance, Vodafone e Câmara Municipal da Covilhã e, numa primeira fase, visava a criação de 300 postos de trabalho, nesta altura emprega cerca de 400 colaboradores.

Os alertas soaram nas últimas semanas depois de a Vodafone, que ocupa cerca de 200 colaboradores no contact center da Covilhã, ter anunciado que pretende “diminuir de forma considerável a sua atividade na cidade”, e a empresa detentora do centro de contacto defender que necessita de mais espaço para atrair outros clientes para suprir a saída da empresa de telecomunicações da sua carteira de clientes.