“Os políticos são sempre os mesmos”

A voz popular de que os políticos portugueses são quase sempre os mesmos confirma-se. Quem o garante é o investigador e professor Jorge Fraqueiro na sua tese de doutoramento, que apresentou na Covilhã, numa palestra, que a Real Associação da Beira Interior organizou esta quarta-feira, no Auditório Municipal, subordinada ao tema “O Sistema Político Português, Renovação ou Estagnação”.

Segundo o estudo, quase 50% dos atores políticos, permanece nos lugares por diversos mandatos e órgãos, havendo mesmo alguns que “desempenharam funções por 17 vezes”. O estudo avança também que o “perfil tipo, do político português, é de alguém do género masculino, com uma idade compreendida entre os 43 e os 52 anos de idade, advogado ou professor, licenciado e natural do distrito de Lisboa”, concluindo que “nesta III República, a estagnação dos atores políticos é notória, tanto no parlamento, em Lisboa, como nas várias autarquias locais”.

Com tal situação política, “repara-se na falta de interesse por parte dos cidadãos neste cenário político em Portugal, onde a abstenção tem sido o “partido” com mais votação”, referiu.

Em representação da Câmara Municipal da Covilhã, que apoiou a iniciativa, esteve presente o vereador José Armando Serra dos Reis que manifestou a sua abertura para “as questões da renovação dos atores políticos”.

O representante da Real Associação da Beira Interior, Rui Mateus, na sua intervenção inicial fez questão de reforçar a importância deste tipo de iniciativas para o “reforço da democracia e da participação cívica”.