Programa de exercícios para doentes com cancro da mama de doutorando da UBI reconhecido pela DGS

O MAMA_MOVE – Programa de Exercício Físico Supervisionado para Sobreviventes de Cancro da Mama, desenvolvido pelo Departamento de Ciências do Desporto (DCD), da Universidade da Beira Interior (UBI), foi incluído nos projetos-piloto do Programa Nacional para a Promoção de Atividade Física da Direção-Geral da Saúde (DGS), cujo lançamento nacional teve lugar no passado mês de janeiro, em Lisboa.

Este projeto-piloto constitui um passo pioneiro no sentido da implementação das principais orientações relativas à recomendação da atividade física no Serviço Nacional de Saúde, incluídas também, na Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, Saúde e Bem-Estar 2016-2025 e no Plano de Ação Global para a Atividade Física 2018-2030, da organização Mundial de Saúde (OMS).

A investigação que suporta o programa MAMA_MOVE está a ser desenvolvida por Pedro Antunes, estudante do Doutoramento em Ciências do Desporto na UBI, onde se desenha e aplica um programa de exercício físico estruturado durante a quimioterapia em mulheres com diagnóstico de cancro da mama, seguidas no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho.

Sob orientação de Dulce Esteves, docente e investigadora da UBI, de coorientação de António Ascensão, docente e investigador da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto e de Francisco Sampaio, docente da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e médico cardiologista. A investigação de Pedro Antunes, mestre em Ciências do Desporto pela UBI, tem como objetivo principal estudar o impacto do exercício na função cardíaca, aptidão física e qualidade de vida, numa fase aguda do tratamento contra o cancro da mama. Paralelamente, o MAMA_MOVE continua a ser implementado na região da Beira Interior, sendo a intervenção orientada por Ricardo Madeira, doutorando em Ciências do Desporto da UBI. 

Para Dulce Esteves, este “reconhecimento pela DGS é um marco importante no desenvolvimento dos programas de intervenção de exercício supervisionado em doentes oncológicos”.