“Plano de proteção da floresta contra incêndios cumprido a 100% na Covilhã”

“A Covilhã é um bom exemplo da adesão que os municípios tiveram ao programa para a criação de faixas de interrupção de combustível (FIC)”, disse Miguel João Freitas, Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, ontem, no final de um dia de visita à região, para verificar no terreno o andamento do plano traçado pelo Governo.

O objetivo é criar, até junho, 3500 km de FIC e o governante garante que o plano, traçado para dois anos, “vai ser cumprido”, trata-se de um investimento global de 4.5 milhões de euros do Fundo Florestal.

Na Beira Interior estão feitos 600 Km, afirmou o governante, salientando que esta execução só “foi possível com o protagonismo das autarquias”. Na Covilhã, “o plano para a criação de 40 km vai ser cumprido a 100%” anunciou, depois de visitar os trabalhos a decorrer em várias freguesias. O Secretário de Estado realça o papel fundamental da autarquia “para executar o programa, financiado na totalidade pelo Ministério da Agricultura”.

No concelho a criação destas infraestruturas representa um investimento de 50 mil euros. Miguel João Freitas destaca ainda o empenho e adesão dos proprietários privados, que “tiveram aqui um papel fundamental e muito sacrifício”, frisou.

Satisfeito com as infraestruturas criadas no terreno, o governante mostra-se convicto que “serão fundamentais no caso de grandes incêndios”. Refere que “embora não impedindo” que os incêndios aconteçam, “criam descontinuidade ao fogo e permitem acessos fáceis para o combate, se for caso disso”. Afirma que não se pode estar descansado face ao fogo, mas “tem a certeza que foi feito tudo o que era possível para evitar grandes incêndios” destacando que “o plano será cumprido a 100%”.

O presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, acrescenta que, para além destes trabalhos, “há outros a decorrer em várias freguesias”, reiterando que ainda assim “ninguém fica preparado 100%”, mas “estão a envidar-se esforços para minimizar os efeitos de incêndios que surjam”.

Na área da prevenção, o autarca salienta ainda o trabalho dos proprietários privados, “que mostraram grande recetividade aos trabalhos e principalmente uma consciencialização diferente da que existia”. Salienta que no ano passado “não houve casos em que a autarquia tivesse que se substituir aos privados” na limpeza de faixas de combustível e este ano mostra-se convicto de que “tal também não irá acontecer”.

Ainda nesta matéria, a autarquia espera ver aprovadas, nos próximos dias, candidaturas no valor de cerca de um milhão de euros para “ir mais além”, “com a construção de pontos de água, abertura e construção de caminhos florestais e limpeza de faixas de gestão de combustível em várias freguesias do concelho”.