União de esforços permitiu requalificar posto da GNR do Tortosendo

As freguesias de Tortosendo, Dominguizo e a União de Freguesias de Peso e Vales do Rio uniram esforços e requalificaram o posto da GNR do Tortosendo, provando que “a união faz a força”.

David Silva, presidente da Junta de Freguesia do Tortosendo, afirma que a obra é a prova de que “com pouco se pode fazer muito”, salientando que “neste caso a união faz a força e conseguindo dar mais dignidade e melhores condições ao posto”, realçando no entanto que ainda assim “não tem as condições ideais”.

O autarca reforça “que por muito que se faça” naquele espaço,” falta sempre mais”, transformando a festa de reinauguração “numa reivindicação do novo posto para o Tortosendo”, que “está anunciado”. Para David Silva “têm sido dados passos importantes para que este seja uma realidade”. Avança ainda que que o local para a implantação está “escolhido e já foi visitado pela GNR e está a ser analisado por responsáveis do Ministério da Administração Interna”. Sem especificar de que local se trata, garante que será “numa das partes urbanas da freguesia”.

O presidente da junta relembra que sempre defendeu a recuperação de um antigo edifício industrial da vila para o novo quartel, mas “tal não vai ser possível”, espera “a boa notícia do arranque das obras” para breve.

José Matos, presidente da Junta de Freguesia do Dominguizo realçou, na cerimónia que decorreu no posto, “as melhores condições para os militares e utentes” proporcionadas pelas 3 juntas, enquanto se “aguarda pelo novo posto que, tal como anunciou o presidente da Câmara, deverá ser inaugurado em 2021”, recordou. O autarca frisa que “houve um melhoramento substancial do posto com as obras realizadas”, tornando-o “acolhedor”.

Rui Amaro, presidente da União de Freguesias de Peso e Vales do Rio, adianta que para além das verbas despendidas por cada uma das autarquias, cerca de 3 mil euros, “militares e os próprios autarcas puseram a mão na massa para fazer as obras”, acrescentando que “a obra é a prova de que não é preciso haver Uniões de Freguesias, basta haver acordos e as coisas resolvem-se”, concluiu.

O presidente garante que apesar destes melhoramentos o “novo posto” é um projeto que “nunca poderá cair, porque o atual é limitado”, referindo que um dos principais entraves “é não permitir ter um efetivo maior”, como se provou quando esteve ali “concentrado o efetivo do Paul e Unhais”, referiu.

A cerimónia de reinauguração do posto decorreu na segunda-feira, contou com a presença do comandante do destacamento territorial do distrito, Jorge Ludovico Bolas, que não prestou declarações aos jornalistas.