Alunos de Mestrado mostram jogos à academia

Jogos criados pelos alunos do curso de Mestrado em Design e Desenvolvimento de Jogos Digitais, da Universidade da Beira Interior (UBI), foram apresentados ontem, no âmbito do evento “Mostra de Games”.

Ao longo da tarde estudantes, professores, funcionários e interessados na área interagiram com os cinco jogos criados pelos alunos do curso de 2.º Ciclo.  O propósito desta apresentação foi provar que o “todo o conhecimento tem de ser prático e validado diante do público-alvo” salienta Ernesto Vilar, professor da UBI.

Os jogos foram produzidos nas disciplinas de Animação e Realidade Virtual, Prototipagem em Jogos Digitais, Usabilidade e Experiência de Utilização, Design de Jogos e Metodologias de Investigação e Seminários, referiu o professor Ernesto Vilar. Os projetos apresentados foram Kaboko, Unveil Covilhã, Orbital Warfare, Mass Eater e Oria, que ainda estão em fase inicial, mas reconhece o professor, “com mais algum trabalho, mais tarde poderão ser comercializados”.
Os jogos foram apresentados de forma interna, para a academia, mas Ernesto Vilar disse à nossa reportagem que “era perfeito que algum dia fossem testados por cidadãos covilhanenses”, referiu o professor.

Mafalda Claro, aluna de 3º ano não oficial, avança mesmo que “haverá oportunidades este ano” no processo de exteriorização de conteúdos noutros eventos. Já João Santos, aluno do mestrado, realça a importância de serem “outras pessoas, fora da área, a avaliar os jogos”, pois os colegas de curso e outros ligados ao gaming, “já conhecem as funcionalidades e para eles tudo é intuitivo”. Contudo outros elementos de áreas diversas têm outras visões e conseguem fazer “criticas mais realistas aos jogos”.

O Mestrado em Design e Desenvolvimento de Jogos Digitais, à semelhança de outros cursos do departamento de Informática da UBI, tem empregabilidade de 100% reforça Ernesto Vilar, avançando que “três alunos mesmo antes de terminarem o curso, já se encontram a exercer”, já que o “mercado está carente destes profissionais”, frisou.