Guardiões, MedUBI e MAPA lançam comunicado conjunto contra o lixo

Depois de terem realizado ações para assinalar o Dia Mundial do Ambiente, a 5 de junho, no Planalto Superior da Serra da Estrela, Ribeira da Goldra e percursos entre a Covilhã e Boidobra, as associações envolvidas, Guardiões da Serra da Estrela, MedUBI – Núcleo de Estudantes de Medicina da Universidade da Beira Interior e MAPA – Movimento Académico de Proteção Ambiental lançam agora um comunicado conjunto “Contra o Lixo na Serra da Estrela e no Concelho da Covilhã”, em que consideram que “a realização de ações de recolha de lixo são importantes do ponto de vista da sensibilização ambiental, mas apenas minimizam temporariamente o problema”, pelo que é preciso “identificar as causas da acumulação de resíduos” e “agir”.

No documento recomendam a realização de “ações de sensibilização dirigidas aos turistas que visitam esta zona da Serra, tanto no inverno como no verão”, propondo que não sejam “só ações no terreno com recurso a voluntários, mas também promover ações de sensibilização via imprensa, rádio e TV”.

Propõem ainda que “o condicionamento do trânsito automóvel individual na Torre, em benefício de solução de transporte coletivo a ser estudada”. Na recomendação consta ainda a colocação de mais contentores para recolha de lixo e mão pesada para os infratores.

Para a contaminação dos cursos de água, entre outras medidas propõem “campanhas de sensibilização através de trabalhos realizados pelos alunos das diversas escolas da cidade, tendo as ribeiras como temas e motivos e a distribuição de pequenos ecopontos pela cidade e pelas escolas”.

No concerne ao percurso percorrido entre a Faculdade de Ciências da Saúde da UBI e a Boidobra, e depois de identificados os problemas, as associações “recomendam a substituição do uso do glifosato para gestão da vegetação das bermas das estradas e outros espaços públicos, por outras técnicas que não sejam tão nefastas para a saúde pública e para os ecossistemas, como por exemplo a monda térmica”. Recomendam ainda a limpeza frequente desses caminhos e a colocação de contentores. A sensibilização e consciencialização da população consequências nefastas de atirar lixo para o chão é outra das recomendações neste ponto.

Os movimentos afirmam na nota enviada que o objetivo da iniciativa é contribuir para a “reflexão e resolução deste grave problema de poluição que afeta, de forma recorrente, o património e recursos naturais, através da implementação de medidas e mudanças efetivas, quer pelas entidades competentes, quer pela sociedade civil”.