Enquanto não estiver “preto no branco” Pavilhão do INATEL não passa para o Município

Passados 2 anos da assinatura do protocolo entre o município da Covilhã e a Fundação Inatel, foi rubricado a 17 de junho de 2017, as negociações para que o pavilhão seja cedido ao município ainda continuam.

Recordar que o protocolo previa a cedência do pavilhão à Câmara Municipal da Covilhã por 30 anos e o pagamento das obras, orçadas em 200 mil euros, por ambas as partes em igual proporção.

Segundo declarações à Rádio Covilhã, de José Miguel Oliveira, “há pormenores que necessitam ser clarificados”. Questionado sobre os termos do protocolo, o vereador com o pelouro do desporto “refere que é importante que as partes assumam as verbas referidas”. Já à questão se o Inatel terá recuado na disposição de pagar os 100 mil euros correspondentes à Fundação, o autarca apenas refere “esperamos que não”.

José Miguel Oliveira avança que há outras estruturas no género que “poderiam estar ao serviço do município”, referindo o caso do Pavilhão do Clube Desportivo da Covilhã (CDC). O vereador mostra-se disponível para o diálogo sobre estas matérias, adiantando também que a autarquia está “atenta e à procura de informação” sobre o processo do “pavilhão”, iniciado há muitos anos frente ao complexo desportivo da ADE e que nunca foi concluído.

Para o vereador “a solução Inatel serve a cidade”, mas defende que a situação ideal seria a construção de “um pavilhão multiusos no Complexo Desportivo”, que permitiria ter “outras modalidades e outras provas”.