Covilhã: Mais de 10 M€ de investimento aprovados para reabilitação urbana

A Covilhã ultrapassou os 10 milhões de euros de investimento aprovados através do Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas (IFRRU), avança o DiarioImobiliário, acrescentando que a autarquia que cita dados da estrutura de gestão daquele programa.

Segundo o DI, a autarquia lembra em comunicado enviado à Agência Lusa, que o IFRRU 2020 tem como objetivo financiar investimentos em reabilitação urbana (públicos e privados) e que a Covilhã surge “numa posição de relevo” entre os concelhos com mais candidaturas aprovadas.

“Na Covilhã as candidaturas aprovadas ultrapassaram já os 10 milhões de euros de investimento. Este desempenho coloca a ‘cidade neve’ a liderar o maior volume de investimento em curso no interior do país e no 15.º lugar a nível nacional”, é referido.

A autarquia sublinha igualmente a “posição destacada face a várias cidades da região Centro, designadamente Viseu, Santarém, Leiria, Guarda ou Castelo Branco.

“Os números apresentados revelam a capacidade ímpar deste concelho do interior em atrair investimento privado, designadamente numa área que se constitui como uma das maiores preocupações dos municípios”, acrescenta.

Por outro lado, aponta a autarquia, as candidaturas aprovadas também vão contribuir para reforçar a estratégia local de reabilitação e revitalização urbana, “consubstanciada na criação de emprego, na atracão/fixação de novos residentes e com foco na vertente turística”.

Citado na nota de imprensa, o presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, afirma que os dados agora revelados “provam que existe um ambiente favorável ao investimento na Covilhã”.


O IFRRU é um instrumento financeiro de mobilização das dotações aprovadas pelos Programas Operacionais Regionais (POR) e do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR) do Portugal 2020.

Com uma capacidade de financiamento de 1.400 milhões de euros, o IFRRU 2020 disponibiliza empréstimos em condições mais favoráveis face às do mercado, para a reabilitação integral de edifícios, destinados à habitação ou a outras atividades, incluindo as soluções integradas de eficiência energética mais adequadas no âmbito dessa reabilitação.