O Conselho Distrital da JSD de Castelo Branco reuniu em Belmonte

Os jovens sociais democratas fizeram um balanço positivo da sua atividade da distrital realizada na primeira metade do mandato e destacaram algumas das políticas que colidem com o interesse dos jovens do distrito

Em comunicado a JSD Distrital dá conta que o abaixamento das propinas previsto no Orçamento do Estado para o próximo ano é “uma promessa feita sem rever a fórmula de cálculo do financiamento das instituições ou a resolução do problema do alojamento estudantil, que não afeta só os estudantes do Litoral, mas os do Interior que estudam deslocados nessas regiões – além de o Governo não compensar os 50 milhões retirados à receita das academias ou complementar as bolsas de estudo para uma maior equidade, tratando de forma desigual quem tem mais ou menos rendimentos, deixando milhares de estudantes totalmente desprovidos do devido apoio do Estado”.

Na nota dão conta também que “o incremento do apoio a passes sociais nas áreas metropolitanas parece um presente envenenado, quando temos um distrito com transportes públicos sofríveis, uma rede ferroviária ou rodoviária deficitária e com rotas não adequadas às necessidades da população”. Os jovens laranjas referiram a dicotomia de um passe mensal em Lisboa tem um custo equivalente à vinda de um estudante ao distrito num único fim-de-semana, ou como um passe dentro do mesmo concelho tem o dobro do custo do litoral.

Num distrito que reclama medidas sérias, sendo que boa parte das propostas até agora partem do estímulo ao emprego e aos incentivos para a fixação de jovens e casais, foi levantada a questão das condições das maternidades distritais e do acompanhamento pré-natal que, sendo alvo de melhoria, alicerçaria igualmente a confiança dos jovens em fixar-se no Interior de Portugal.