“Estamos a operar uma revolução na forma de governar”

Em dia de celebrar os 45 anos do 25 de Abril, Vítor Pereira, presidente da Câmara Municipal da Covilhã, escolheu a palavra “revolução” para caraterizar o seu mandato. No discurso, durante a sessão solene da Assembleia Municipal, salientou a “revolução que está a operar na forma de conduzir os destinos da autarquia”. Na área financeira, libertou o município da “troika financeira”, no relacionamento com as autarquias vizinhas “acabou com as guerras e clima de relacionamento conflituoso” e iniciou “a cooperação”, concluindo que está a “preparar estruturalmente a Covilhã para os desafios do desenvolvimento e do futuro”.

Foi pela questão financeira que Vítor Pereira iniciou o seu discurso, salientando o desempenho do município em 2018, que “pela primeira vez nos últimos 12 anos, cumpriu o limite do endividamento definido pela Lei das Finanças locais” frisou. Em termos de números, Vítor Pereira salientou o envidamento, que baixou de 2013 para 2018 de 297% para 148%, bem como o passivo que baixou de 150 para 76 milhões de euros, o que mostra contas “sãs e equilibradas”, referiu. Um desempenho financeiro que “dá credibilidade” realçou, afirmando que “está a cumprir uma missão histórica” ao devolver sustentabilidade financeira que “a Covilhã, do presente e do futuro, irá aproveitar”.

O autarca realçou que “a folga financeira” permite reunir as “condições para de forma mais rápida, pronta e eficazmente dar resposta às necessidades mais prementes e aos mais importantes anseios dos munícipes”, salientando que partir de agora poderá “incrementar a ação com mais realização, com mais atividade e mais obra”.

No campo das obras o autarca anunciou a adjudicação das obras de remodelação da escola secundária Frei Heitor Pinto para o dia 10 de maio.

A cooperação com os municípios vizinhos mereceu também a atenção do autarca no discurso, enumerando diversos projetos que Covilhã, Belmonte e Fundão pretendem desenvolver em conjunto. No terreno, está já a partilha dos serviços de veterinária municipal e em estudo disse o autarca, frisando também “a utilização e oferta comercial para a linha da Beira Baixa”, num projeto conjunto dos 3 municípios, no âmbito dos transportes na região, “aproveitando o potencial da ferrovia”. Ainda na área dos transportes, Vítor Pereira lançou o repto ao presidente de Belmonte e Fundão para “a elaboração de uma candidatura conjunta para a construção de uma ciclovia que interligue os três concelhos da Cova da Beira”.

Em dia de celebrar o 25 de Abril, o presidente da Câmara da Covilhã realçou ainda as obras que tem em curso, ou que irá iniciar em breve, como as da “Escola Frei Heitor Pinto e do Pátio do Escuteiros, a Remodelação do Teatro Municipal, do antigo Liceu e a construção de ciclovias”, que são “exemplos vivos da ação que está a imprimir à sua ação camarária”.