“Todos os votos contam para eleger mais um deputado”

O apelo ao reforço da CDU nas eleições para o Parlamento Europeu, foi a principal mensagem que o primeiro candidato daquela coligação, João Ferreira, deixou na região. Depois de uma arruada no Tortosendo, o candidato esteve à noite no auditório da Banda da Covilhã, onde apontou o dedo às políticas seguidas nos últimos anos, que conduziram o país à “estagnação”.

Referiu que “se algo de positivo foi feito nos últimos anos foi graças à CDU”, rejeitando as responsabilidades do que de menos positivo aconteceu, “uma vez que a CDU criou condições para melhorar, o PS não quis”, referiu.

Apresentando a candidatura como alternativa “para o país avançar”. O candidato não poupou nas críticas também às políticas europeias, “que influenciam todas as grandes decisões nos vários setores da vida nacional”, nomeadamente a situação dos trabalhadores, serviços públicos, produção nacional. Para João Ferreira, os grandes problemas nacionais estão sempre “direta ou indiretamente relacionados com diretivas europeias”. Uma posição critica que a CDU defende há 25 anos, “quando alguns apresentaram o mercado único como a solução e não passou de um engodo ao desenvolvimento”, contra o qual a CDU se mostrou contra, frisou no discurso.

Para o candidato setores como a agricultura, a pesca, a indústria não beneficiaram com a abertura de mercados, que serviu “para a entrada de produtos” e não para o alargamento da “base comercial nacional”.

O dedo foi também apontado à moeda única. Nesta área João Ferreira relembrou uma vez mais os “avisos da CDU que 20 anos depois, prova-se que estavam corretos”. A adesão teve um impacto negativo na economia, o desemprego aumentou, frisou João Ferreira, afirmando que “Portugal foi dos países que menos cresceu no mundo nos últimos 20 anos”.

Só um reforço na CDU conseguirá combater “estas injustiças”, referiu, lembrando que nas eleições para o Parlamento Europeu não há círculos eleitorais e “todos os votos contam para eleger mais um deputado”.