António Costa: “O interior não é as traseiras do litoral”

Reforçar as vias de comunicação para dar corpo à ideia de que o interior é a porta de entrada para o mercado ibérico, foi a máxima defendida por António Costa, secretário-geral do PS, no comício de sábado em Castelo Branco.

O dia começou com uma arruada na Covilhã, que juntou mais de uma centena de pessoas, entre a Praça do Município e o Jardim Público. O líder socialista, acompanhado pelos candidatos no distrito, distribuiu sorrisos, cumprimentos e tirou fotos. Foi ao longo do percurso interpelado por uma ativista que pedia o fim das portagens na A23 e da exploração de lítio nas terras do interior.

Já na intervenção em Castelo Branco, António Costa afirmou que o PS irá continuar a “cumprir com o interior, que nunca será as traseiras do litoral, mas sim a porta avançada para o mercado Ibérico”.

Um objetivo conseguido com obras como a modernização da Linha da Beira Baixa e Beira Alta que “deixaram de estar só nos discursos, para estarem no terreno e que vão ser acabadas a tempo e horas” garantiu.

Outras das ligações que António Costa considerou “fundamental para a ligação a Espanha” foi o IC 31 que, frisou, “será também uma realidade”, especificando que é “tão importante ligar o interior ao litoral como ligá-lo a Espanha para termos uma presença importante no mercado Ibérico”.

António Costa garantiu também que “a política para fixação de empresas e criação de emprego”, que vão passar pelos “benefícios fiscais para as empresas que aqui se fixem” serão outras ferramentas a utilizar para o desenvolvimento do interior.