Geopark Estrela aumenta o potencial turístico de toda a região

Carlos Filipe Camelo, presidente da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE), destaca o “aumento do potencial turístico de uma zona onde o problema maior continua a ser o envelhecimento e o despovoamento da população”, como um dos fatores de relevo da constituição do Geopark Estrela.     

Para o presidente da CIMBSE esta é, “uma boa notícia” que “revela as potencialidades da nossa região”, realça em comunicado, onde considera que “a aprovação da UNESCO só foi possível graças a uma candidatura muito bem elaborada, que mereceu o envolvimento e empenho de todos os parceiros da Associação Geopark Estrela”.

Para Carlos Filipe Camelo a região dispõe agora de uma ferramenta que promoção turística da região, que valoriza ainda “o aumento do potencial turístico de uma zona onde o problema maior continua a ser o envelhecimento e o despovoamento da população”.

Recordar que a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela inclui as unidades territoriais da Serra da Estrela, Beira Interior Norte e Cova da Beira e é composta pelos municípios de Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Guarda, Gouveia, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia e de Trancoso.